“Nosso trabalho não é meramente assistencialista. É claro que temos de dar o pão a quem tem fome, mas depois queremos levar as pessoas a crescerem, a se tornarem membros da sua comunidade. Queremos que aqueles que são atendidos cresçam no seu próprio valor, na própria autoestima. Queremos que desperte neles a vontade de lutar e de melhorar a sua situação. Queremos que essa assistência social seja uma verdadeira promoção”.     (Dom Veremundo Tóth)

Orquestra Jovem Eszterháza

Criado com o nome original de Projeto Arrebol, hoje chamado de Projeto Sinfônico Eszterháza, proporciona educação musical para menores sem recursos da comunidade de Paraisópolis e áreas adjacentes, atendendo a mais de 300 crianças.

Atualmente, nossa equipe é composta de profissionais de primeira linha. Contamos também com um número considerável de instrumentos.

Vinte jovens de 15 e 16 anos, integrantes da Orquestra Eszterháza participaram de eventos nos Jogos das Olímpíadas do Rio de Janeiro de 2016.

Em virtude da origem da Escola de Música, fundada por monges beneditinos húngaros em 1951, a Orquestra foi convidada a tocar em diversas recepções organizadas pela Comissão Olímpica da Hungria.

Durante a realização dos Jogos Olímpicos na cidade maravilhosa, a Orquestra se apresentou ao presidente húngaro János Áder.

Confira ao lado o vídeos das aresentações realizadas pela nossa orquestra sinfônica nos jogos Rio 2016

“Estamos colhendo mais um belo fruto deste trabalho que começou com os beneditinos húngaros e continua agora com os monges brasileiros, sempre com o mesmo ideal, de acolher e servir ao próximo”